Tag dos 50%:

50
O melhor livro que você leu até agora, em 2018: eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios;

A melhor continuação que você leu até agora, em 2018: A primavera rebelde, da Morgan Rhodes;

Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito: a nuvem, godsgrave, dona do poder;

O livro mais aguardado do segundo semestre: um milhão de finais felizes;

O livro que mais te decepcionou esse ano: Os doze mandamentos, do Sidney Sheldon;

O livro que mais te surpreendeu esse ano: a guerra não tem rosto de mulher e pequenas grandes mentiras;

Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente): Liane Moriarty, Svetlana Alexijevich e Morgan Rhodes;

A sua quedinha por personagem fictício mais recente: Rowan (o ceifador) e Magnus (queda dos reinos);

Seu personagem favorito mais recente: A, de todo dia.

Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre: nenhum.

Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre: todo dia, do David Levithan e falando o mais rápido que posso, da Lauren Graham;

Melhor adaptação de um livro que você assistiu até agora, em 2018: the handmaid’s tale (é impecável);

Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo): pequenas grandes mentiras;

O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano: Joyland;

Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
It a coisa, navio arcano, nevernight, o sol é para todos.
Lidos até agora: 49.

 

Jhenifer Souza

 

Tag copa do mundo literária:

 

copa lit

Tag criada pela Kelly de @aventurasnaleitura

Pênalti – um livro que te encheu de esperança: A lógica inexplicável da minha vida, de Benjamin Alire Sáenz;

7×1 – um livro que te decepcionou: Os doze mandamentos, de Sidney Sheldon;

Prorrogação – um livro que merece continuação: Eleanor & Park, da Rainbow Rowell;

País sede Rússia – um livro de um autor russo que você favoritou ou deseja ler: Anna Kariênina, do Liev Tolstói;

Seleção brasileira – seu livro nacional favorito: Quinze Dias, do Vitor Martins e O Sorriso da Hiena, do Gustavo Avilla;

A taça do mundo é nossa – um livro que te deixou extremamente feliz: Todo Dia, do David Levithan.

 

Jhenifer Souza

O presente do meu grande amor – vários autores

pr

Comecei a ler esse livro de contos no natal para aproveitar o clima, pois é o tema do livro.
Alguns contos me encantaram, alguns vou guardar para sempre no meu coração, outros serão facilmente esquecidos, já outros eu simplesmente não gostei. Isso faz parte.
Eu conhecia a maioria dos autores (por nome), mas só havia lido Stephanie Perkins, Rainbow Rowell, Gayle Forman e Kiersten White. Já sabia que muitos dos outros escreveram livros bem aclamados e inclusive estão na minha lista de futuras leituras e esse livro de contos só me fez ficar mais ansiosa para conhecer suas obras.

Ordem do mais ao menos favorito:
Bem-vindo a christmas, california, de Kiersten White;

Que diabo vc fez, Sophie Roth?, de Gayle Forman;

Papai noel por um dia, de David Levithan;

Anjos na neve, de Matt de La Peña;

É um milagre de yule, charlie brown, da Stephanie Perkins;

Estrela de belém, de Ally Carter;

Meias-noites, de Rainbow Rowell;

Baldes de cerveja e menino jesus, de Myra McEntire;

Encontre-me na estrela do norte, de Jenny Han;

A garota que despertou o sonhador, de Laini Taylor;

Krampuslauf, de Holly Black;

A dama e a raposa, de Kelly Link.

“Em meio à nossa risada, imaginei um garoto no apartamento lá em cima, sentado ao lado do rádio com sua irmãzinha, a mãe e o pai. Gostaria de poder dizer a ele para se lembrar de cada detalhe daquele dia. Não apenas dos presentes que ganhou, mas de sua família também. De sua mãe. Porque, um dia, ele estaria longe de casa, sentado em uma escada coberta de neve com uma garota de quem talvez gostasse, rindo, e ele gostaria de se lembrar de como eles eram.”

“Sempre me senti sortudo por morar em um lugar onde a neve é rara, sabe? É a raridade que a torna tão especial. E isso poderia ser dito sobre um monte de coisas.”

“E se o erro não tivesse sido ir para lá, mas ter ficado cega para tudo isso?”

“Aos encaixes perfeitos e aos encaixes imperfeitos.”

“(…) Mas não tem importância que você não consiga encontrar a minha casa. Eu a encontrei sozinha.”

 

 

Jhenifer Souza

Todo dia – David Levithan

todo dia

Que hino de livroooooo! ❤

Conseguiu me conquistar na primeira página, juro, e poucos livros conseguem isso. Percebi, também, que estou ficando mais sensível com livros, antes era muito raro chorar ou mesmo ficar com um nó na garganta, agora tem sido mais comum, mas eu me senti muito bem por (quase) chorar com esse livro. Histórias como essa me fazem acreditar no amor verdadeiro.

O livro conta a história de A, que acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

Eu fiquei tão apaixonada pela história, pela escrita.. o final me deixou triste, mas depois eu parei pra pensar e é assim q a vida é, o final foi mt real, se tivesse dado tudo certo, seria fantasioso.

“Você pode aprender muito sobre as pessoas a partir das histórias que contam, mas também pode conhecê-las pelo modo como cantam, não importando se gostam de janelas levantadas ou abaixadas, se vivem de acordo com o mapa ou se perdem-se pelo mundo, ou se sentem a atração do mar.”

“Quero que ele se lembre de como é abraça-la. Quero que se lembre de como é dividir o mundo com ela. Quero que ele, em alguma parte dentro de si, se lembre do quanto eu a amo. E quero que aprenda a amá-la do próprio jeito, que seja independente de mim.”

“Conhecimento é a única coisa que levo comigo quando vou embora.”

“Parece que estamos além do tempo, embora tal lugar não exista.”

“Sempre haverá mais perguntas. Toda resposta leva a mais perguntas.”

 

Jhenifer Souza

TAG NANANÃO:

livrrrooos
1. Final de livro NANANÃO: Um final que te deixou péssimo, no chão, arrasado, ou que foi só uma bela bosta:
Eu, você e a garota que vai morrer (na vdd tudo, mas o final, puta merda)

2. Protagonista NANANÃO: Um personagem principal que te tira do sério:
Tomas de a insustentável leveza do ser (odeio)

3. Série de livros NANANÃO: Uma série que é toda uma grande negação, que te deixou com aquela sensação de tempo perdido:
Fallen

4. Casal NANANÃO: Um casal que não acende as luzes do seu coração:
Luce e Daniel (prefiro Luce e Miles)

5. Plot Twist NANANÃO: Uma virada de mesa que não virou mesa nenhuma:
Todos os plots do menino que desenhava monstros ZzzzZ

6. Decisão de protagonista NANANÃO: uma escolha que você viu o personagem fazer e você pediu muito para que não fosse verdade, mas aí era e ai.. que pena:
O que a Tris decide fazer no final de convergente…. apenax

7. Gênero NANANÃO: um gênero que você nunca vai ler:
Esses livros sobre minecraft
8. Clichê de trama NANANÃO: aquela coisinha que tá em tudo que é história que você não aguenta mais ler:
Protagonista que se acha feia, invisível (mas é linda) e quando conhece o par romântico, ele faz com que ela se sinta maravilhosa e ela acredita só por causa dele;

9. Recomendações NANANÃO. Uma recomendação que você ouve sempre e sempre fala “Não querida, obrigado”:
Maioria dos clássicos;

10. NANANÃO Mania de escrita: Alguma coisa que um autor ou autores fazem que te deixa pedindo “Pelo amor de deus! Socorro! Pede para outra pessoa escrever essa parte?”:
A abbi glines sempre coloca umas briguinhas tão fracas entre os casais, que muitas vezes acontece por falta de comunicação (o que eu odeio)

11. Livro NANANÃO: Um livro que não devia nem ter existido:
Credo, acho que novamente esses sobre minecraft, mas tem quem goste né

12. Vilão NANANÃO: Um vilão que não valeu nem o palito de limpar o dente, de tão fraco que foi:
Achei o vilão de jogador n1 mt mé, parecia uma criança birrenta q queria conquistar td
13. Autor NANANÃO: Um autor que você teve uma experiência ruim de leitura:
Milan Kundera

 

 

Jhenifer Souza

Oscar literário:

TAG - Oscar literário
1. melhor protagonista homem:
Julian, de Lord of Shadows;
.
2. melhor protagonista mulher:
Malorie, de Caixa de Pássaros;
.
3. melhor plot twist:
Roubei e escolhi três finais que me impressionaram: de Três Coroas Negras, de Lord of Shadows e de Precisamos Falar Sobre o Kevin;
.
4. melhor capa:
Três Coroas Negras, da Kendare Blake;
.
5. melhores personagens coadjuvantes:
Newt, de Maze Runner e Julian (é mulher) de Três Coroas Negras;
 .
6. melhor roteiro original:
O Último Adeus, da Cynthia Hand;
.
7. melhor roteiro adaptado para filme:
Extraordinário, da R.J Palácio;
.
8. melhor animação (um livro que funcionaria bem num formato  ilustrado ou animado para o cinema):
Geekerela, da Ashley Poston (ficaria tão lindinhoooo);
.
9. melhor diretor (autor):
Lionel Shriver;
 .
10. melhores cenas de ação em um livro:
O Sorriso da Hiena, do Gustavo Ávila;
.
11. melhor conto:
Sempre Seu Idiota, James, da Rachel Fernandes;
 .
12. melhor livro de não-ficção:
A Sangue Frio do Truman Capote e Mindhunter do John Douglas;
 .
13. melhor livro do ano:
Precisamos Falar Sobre o Kevin, da rainha Lionel Shriver.
 .
.
.
Jhenifer Souza

Leituras do ano:

booksss

 

Desastre Iminente (Belo Desastre #2), de Jamie McGuire

Belo Casamento (Belo Desastre #3), de Jamie McGuire

Mosquitolândia, de David Arnold

O Pacifista, de John Boyne ⭐️

O menino que desenhava monstros, de Keith Donohue

Cela de vidro, de Patricia Highsmith

Bela Distração (Irmãos Maddox #1), de Jamie McGuire

Precisamos falar sobre o Kevin, de Lionel Shriver ⭐️

Abusado – O Dono do Morro Dona Marta, de Caco Barcellos

Os 13 porquês, de Jay Asher ⭐️

Maze Runner: Correr ou Morrer, de  James Dashner

A arte de entrevistar bem, de Thaís Oyama

Cultura Infantil: A construção corporativa da infância, de Joe Kincheloe e Shirley Steinberg

A Sangue Frio, de Truman Capote ⭐️

Bela Redenção (Irmãos Maddox #2), de Jamie McGuire

Mídias Digitais: Produção de conteúdos para web, de Carla Schwingel

O bicho-da-seda, de J.K. Rowling

George, de Alex Gino

A lista negra, de Jennifer Brown ⭐️

Quinze dias, de Vitor Martins ⭐️

O sorriso da hiena, de Gustavo Ávila ⭐️

O último adeus, de Cynthia Hand ⭐️

A garota no trem, de Paula Hawkings

Extraordinário, de R.J. Palácio ⭐️

Officially Dead, de Richard Prescott (primeiro livro em inglês)

Caixa de Pássaros, de Josh Malerman ⭐️

Tá Todo Mundo Mal, de Jout Jout

Belo Sacrifício (Irmãos Maddox #3), de Jamie McGuire

O fantasma de Anya, de Vera Brosgol

Persépolis, de Marjane Satrapi ⭐️

Três Coroas Negras, de Kendare Blake ⭐️

Bela Chama (Irmãos Maddox #4), de Jamie McGuire

A lógica inexplicável da minha vida, de Benjamin Alire Sáenz ⭐️

Suzy e as águas-vivas, de Ali Benjamin ⭐️

Por lugares incríveis, de Jennifer Niven ⭐️

Ecos, de Pam Muñoz Ryan

Jogador Número 1, de Ernest Cline

Os novos perigos que rondam nossos filhos, de Tania Zagury

Crianças do consumo: a infância roubada, de Susan Linn

Senhor das Sombras (Os Artifícios das Trevas #2), de Cassandra Clare ⭐️

O que há de estranho em mim, de Gayle Forman

A menina submersa, de Caitlín R. Kiernan

Sempre seu idiota, James, de Rachel Fernandes ⭐️

Círculo de escritores, de Carlos Feiden

A lenda das estrelas, de Ana Marques

Maus – a história de um sobrevivente, de Art Spiegelman

Simon vs a agenda homo sapiens, de Becky Albertalli

A rainha vermelha, de Victoria Aveyard

A outra face, de Sidney Sheldon

Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie ⭐️

Filha das trevas (Saga da Conquistadora #1), de Kiersten White ⭐️

Geekerela, de Ashley Poston ⭐️

O outro lado, de Beatriz Trevizoli

Em busca de um novo amanhã, de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe

Mindhunter, de John Douglas e Mark Olshaker ⭐️

A primeira chance, de Abbi Glines

Mais uma chance, de Abbi Glines

Para sempre minha, de Abbi Glines

REPUTATION BOOK TAG:

jj

 

A tag foi criada pela Bel Rodrigues (@isabeltiful).

1. End Game – Essa é a única música com featuring no álbum. Cite um livro que você gosta muito e que foi escrito por dois ou mais autores:
Série House of Night;

2. Don’t Blame Me – Como a música relata uma paixão avassaladora, cite um livro em que o personagem só faz merda e coloca a culpa no amor/sentimento:
Quentin, de Cidades de Papel;

3. I Did Something Bad – A música fala de uma mulher que está totalmente no controle das situações que acontecem na vida dela. Cite um livro com uma personagem feminina forte e marcante:
A Lada, de Filha das Trevas;

4. Look What You Made Me Do- Cite um personagem que mudou muito ao longo da história por causa da atitude de outras pessoas:
Hannah, de os 13 Porquês;

5. Getaway Car- Cite um casal que aconteceu sem drama e reviravolta, mas mesmo assim foi marcante:
Delilah e Colin, de Qual seu Número? (muuuuito difícil encontrar um casal sem drama kkkk);

6. Dress – Cite um livro com cenas de sexo muito bem escritas:
A série Os Artifícios das Trevas, da Cassandra Clare;

7. Call It What You Want – Cite um casal que não pode ficar junto por algum motivo, mas não estão nem aí pra isso:
Emma e Julian;

8. … Ready For It? – Cite um autor que você sente que nunca está preparado para ler, pois sempre acaba sendo surpreendido:
Sidney Sheldon. Que homem.

Leituras recentes

bicho da seda

Eu nunca vou me acostumar com a genialidade da J.K. Rowling! Que mente é essa?! O livro é muito bom, os personagens são maravilhosos, tô ansiosa para assistir a série que estreia ainda esse ano e gostei da escolha dos atores.
Sinopse: O detetive Cormoran Strike, protagonista de O Chamado do Cuco, está de volta, ao lado de sua fiel assistente Robin Ellacott, no segundo livro de Robert Galbraith, pseudônimo de J.K. Rowling. Dessa vez, o veterano de guerra terá que solucionar o brutal assassinato de um escritor. Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa procura o detetive particular Cormoran Strike. Inicialmente, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias – como fez antes – e quer que Strike o encontre e o leve para casa. Mas, à medida que investiga, fica claro para Strike que há mais no sumiço de Quine do que percebe a esposa.
O escritor acabara de concluir um livro retratando maldosamente quase todos que conhece. Se o romance fosse publicado, a vida deles estaria arruinada – assim, muita gente pode querer silenciá-lo. E quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias estranhas, torna-se uma corrida contra o tempo entender a motivação de um assassino impiedoso, diferente de qualquer outro que Strike tenha encontrado na vida.
“Como uma tampa que encontra sua rosca, uma multiplicidade de informações sem relação nenhuma girava pela mente de Strike e de repente se encaixavam, incontroversamente corretas, inegavelmente certas. Ele revirou sem parar sua teoria: era perfeita, firme e sólida. O problema é que ele não sabia ainda como prová-la.”

“Robin tinha prendido um desenho de Orlando na parede atrás de sua mesa, de modo que um alegre passarinho de barriga vermelha fitava de cima o detetive e sua assistente, ocupados com outros casos, lembrando-os de que uma garota de cabelo cacheado na Ladbroke Grove ainda esperava que a mãe voltasse para casa.”

 

george

“Não devemos deixar as expectativas das pessoas limitarem nossas escolhas.”

Esse livro é tão sensível, tão inocente… Foi o primeiro que li com a temática trans. É importante lermos esses temas para termos conhecimento e nos colocarmos no lugar do outro, sempre! Seja quem você é.
George ganhou meu coração. ❤

Sinopse: Quando as pessoas olham para George, acham que veem um menino. Mas ela sabe que não é um menino. Sabe que é menina. George acha que terá que guardar esse segredo para sempre: ser uma menina presa em um corpo de menino. Até que sua professora anuncia que a turma irá encenar “A teia de Charlotte”, e George quer muito ser Charlotte, a aranha e protagonista da peça. Mas a professora diz que ela nem pode tentar o papel porque… é um menino. Com a ajuda de Kelly, sua melhor amiga, George elabora um plano. E depois que executá-lo todos saberão que ela pode ser Charlotte — e entenderão quem ela é de verdade também.

“Charlotte estava morta, mas George estava viva de uma forma que nunca tinha imaginado.”

“O mundo nem sempre é bom com as pessoas que são diferentes.”

 

lista negra

 

“O tempo nunca acaba. Como sempre há tempo para a dor, também sempre há tempo para a cura. É claro que há.”
Muitas recomendações foram feitas e finalmente o li. O final me emocionou muito.
Ele é extremamente necessário, esse livro mostra até onde o bullying pode chegar…

Sinopse: O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos.
Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

“Kline daria sua vida por você. Todos nós meio que sabíamos que ele era capaz disso. Agora, o mundo inteiro sabe que Kline foi mesmo capaz disso.”

“Ela pegou meu caderno espiral e o jogou sobre o Hamlet de Nick. Minha realidade e a fuga de Nick… um sobre o outro.”

 

ultimo adeus

ultimo adeus2

Ah… esse livro…
Apesar de tão triste, ele nos ensina tantas coisas. Muitas vezes queremos abraçar o mundo, resolver tudo, nos culpar pelo que as outras pessoas fazem, sendo que isso não é possível e nunca vai ser. Cada um é responsável pelo que faz. O mais difícil desse livro é que meu personagem favorito estava morto durante todo ele. O sofrimento da família foi insuportável.
A descrição da morte do Ty foi tão triste… uma vez li uma citação, não me lembro onde, no qual dizia que “a morte acontece com as pessoas ao redor, com quem fica” e esse livro provou que isso é real, pois a morte do Tyler destruiu a família da Lexie e eles nunca mais voltarão a ser o que eram… e isso acontece o tempo todo, com muitas famílias. Pensei na minha família, no meu irmão… em como muitas vezes não paramos cinco minutos do nosso dia para saber o que está acontecendo de fato com quem a gente ama. A vida é corrida né.. sempre assim.
Recomendo para todos.

“Todos temos nossas fraquezas.”

“As pessoas que amamos nunca se vão realmente.”

“Morrer
É uma arte, como tudo mais.
Nisso eu sou excepcional.
Faço parecer infernal.
Faço parecer real.”

 

OBS.: Gente, estou fazendo TCC, está uma correria danada, por isso só estou conseguindo publicar uma vez por mês. 😦

 

Jhenifer S.